Usinas a carvão de Portugal “podem ser reativadas”

O DGEG (direcção-geral de energia e geologia) e REN (rede eléctrica do país) está a estudar a possibilidade de reabrir as centrais a carvão de Sines e Pego “em caso de situação de emergência para o sistema eléctrico nacional” há duas semanas.

A novidade vem na edição impressa desta semana do Expressoque acrescenta, no parágrafo inicial “mas o governo desconta essa possibilidade” (ou seja, desconta a probabilidade de uma situação de emergência).

O fato de a DGEG agir contra as próprias intenções do governo não faz o menor sentido. É uma agência do Estado.

O que parece mais provável é que essa ideia esteja sendo ‘seguida lentamente’, em um momento em que outros países também estão retrocedendo em suas próprias ‘metas climáticas’:

Deutsche Welle por exemplo, explica que “os ministros da economia dos 16 estados alemães já pediram um exame de tempos de operação mais longos para usinas a carvão e nucleares”; A Espanha, já sabemos, manteve as usinas a carvão em funcionamento (já que agora abastecem Portugal com energia, após o fechamento abrupto do país aparentemente para ganhar aclamação internacional…); A Itália disse que está considerando reativar algumas de suas usinas a carvão, enquanto o Reino Unido está seguindo o mesmo caminho que a Alemanha.

Ontem, em Roma, o primeiro-ministro António Costa esteve ocupado a preparar o terreno para a Europa aceitar as ‘interconexões com a Península Ibérica’, que no passado foi tão detestável contemplar.

E, lembre-se, tudo foi colocado em prática para que mudanças como essa avancem nas horas finais de 2021: aquela estranha proposta da Comissão Européia de considerar “certos tipos de energia nuclear” e opções de gás natural ‘verdes’.

Por outras palavras, o artigo do Expresso é muito provavelmente apenas mais uma jogada num jogo de xadrez que começou muito antes de a Rússia lançar a sua invasão da Ucrânia.

READ  30 album mais qualificados

Então, o que exatamente estamos sendo informados (esta semana)?

Segundo o Expresso, a DGEG pediu à EDP “há cerca de duas semanas” que suspendesse o desmantelamento da central de Sines “para que os dois grupos de geradores que ainda estão de pé (dos quatro que existiam) pudessem ser reactivados em caso de necessidade”.

A central do Pego, propriedade da Tejo Energy, continua em funcionamento, refere o jornal, embora a produção “parasse” oficialmente em novembro do ano passado.

As empresas que gerem as centrais estão prontas para voltar a operar os sistemas na medida em que ambos poderiam fornecer 628 MW (isto é cerca de metade da oferta que Sines costumava gerar).

Mas, diz o jornal, a decisão final “é política. E politicamente, no Ministério do Meio Ambiente, não há vontade de avançar com esse cenário”.

É preciso dizer que o novo governo, que deve tomar posse no final deste mês, tem quase certeza de formar um novo ministro do Meio Ambiente.

O atual, João Pedro Matos Fernandes, sublinhou em pelo menos duas ocasiões que considera não haver “necessidade” de reabrir as centrais a carvão – e há o que o Expresso descreve como “um desafio operacional” ao plano: ambos as usinas ficaram sem carvão.

É aqui que se tem de perguntar porque é que um jornal nacional com a dimensão do Expresso está a escrever uma história destas se não vai dar em nada?

A resposta é ‘algo é provável que saia disso’, independentemente do que o Sr. Matos Fernandes possa estar a dizer publicamente, e quaisquer que sejam os ‘desafios operacionais’.

É particularmente interessante também que todas as fontes do Expresso tenham pedido o anonimato “invocando a delicadeza do assunto”.

READ  Nicolo Museolico do Sal - Figueira da Foz, Portugal

Mais uma vez, a pergunta tem que ser, ‘por que o assunto’ é delicado ‘se o governo é realmente improvável que dê luz verde a essa mudança de política?

Conclusão: todas as fontes anônimas sugerem vai demorar pelo menos doispossivelmente até quatro meses reactivar o Pego e Sines e “permitir que o sistema elétrico nacional opere com uma margem de conforto adicional em relação ao cenário atual, em que a combinação de preços recordes de gás natural e seca provocou elevação dos preços da eletricidade no atacado (e contribuiu para que em fevereiro Portugal importava de Espanha o nível mais elevado de eletricidade em 36 anos”.

Mas não deixa de ser um plano de curto prazo que pode funcionar.

“As usinas a carvão não substituiriam as usinas de ciclo combinado a gás ou as hidrelétricas como ferramenta de flexibilidade para responder rapidamente às variações intradiárias na produção eólica (as termelétricas a carvão demoram muito mais para aquecer e resfriar e têm seu máximo disponível ). Mas poderão voltar ao funcionamento contínuo (como acontece com as centrais nucleares), preenchendo uma parte relevante da procura de eletricidade do país e minimizando a utilização de gás ou centrais hidroelétricas”, conclui o Expresso.

Os líderes da UE se reunirão em Bruxelas na quinta e sexta-feira da próxima semana, com energia e a melhor forma de se afastar dos suprimentos russos no topo da agenda.

Reunindo-se ontem com homólogos do Sul em Roma, o primeiro-ministro de Portugal não chegou a dizer “nós avisamos” sobre a questão das ‘interconexões com a Península Ibérica’ (e a velha castanha de potencialmente importar muito mais gás natural liquefeito dos Estados Unidos)

Se tivéssemos feito estas interligações quando foram acordadas, a Europa não estaria no problema da dependência que está hoje” – disse à Lusa, acrescentando que a UE tem de “aprender com o passado e não perder mais um segundo…”

READ  Hatch Mansfield dá as boas-vindas a nova empresa portuguesa

[email protected]

Teremos o maior prazer em ouvir seus pensamentos

Deixe uma Comentário

DETRASDELANOTICIA.COM.DO PARTICIPE DO PROGRAMA ASSOCIADO DA AMAZON SERVICES LLC, UM PROGRAMA DE PUBLICIDADE DE AFILIADOS PROJETADO PARA FORNECER AOS SITES UM MEIO DE GANHAR CUSTOS DE PUBLICIDADE DENTRO E EM CONEXÃO COM AMAZON.IT. AMAZON, O LOGOTIPO AMAZON, AMAZONSUPPLY E O LOGOTIPO AMAZONSUPPLY SÃO MARCAS REGISTRADAS DA AMAZON.IT, INC. OU SUAS AFILIADAS. COMO ASSOCIADO DA AMAZON, GANHAMOS COMISSÕES DE AFILIADOS EM COMPRAS ELEGÍVEIS. OBRIGADO AMAZON POR NOS AJUDAR A PAGAR AS TAXAS DO NOSSO SITE! TODAS AS IMAGENS DE PRODUTOS SÃO DE PROPRIEDADE DA AMAZON.IT E DE SEUS VENDEDORES.
Folha d’Ouro Verde